Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017 - 10h06

Febre amarela pode ser confundida com 6 doenças

Leptospirose, hepatite e dengue hemorrágica são as mais comuns
Febre amarela urbana é passada pelo Aedes aegypti / Paulo Whitaker/Reuters Febre amarela urbana é passada pelo Aedes aegypti Paulo Whitaker/Reuters

Febre, dores no corpo, fraqueza, vômito, olhos amarelados. Alguns dos primeiros sinais da febre amarela também podem ser confundidos com os sintomas de pelo menos outras seis doenças. Leptospirose, hepatite e dengue hemorrágica são as mais comuns, mas até mesmo malária, febre tifoide e febre maculosa podem se manifestar de forma semelhante à doença que já matou pelo menos duas pessoas no Espírito Santo.

 

Nessa última quarta-feira, o diretor do Instituto Evandro Chagas, Pedro Vasconcelos, abordou o assunto durante uma capacitação para cerca de 200 profissionais de saúde no Espírito Santo, a convite da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde).


Veja também

Ubatuba confirma primeira morte por febre amarela

Fiocruz: é praticamente impossível erradicar o Aedes


Vasconcelos é um dos maiores especialistas em febre amarela domundo e esteve até quarta no ES para avaliar a estratégia de proteção à população adotada, como a vacinação cautelar em 60 municípios. “Falamos sobre os transmissores da doença, o quadro clínico e o diagnóstico diferencial com outras doenças que geralmente têm um quadro parecido com da febre amarela. É preciso estar atento”, disse.

 

Infográfico como identificar febre amarela

 

Números

 

Já são 45 os casos em investigação pela Sesa, sendo oito mortes. Outros 11 casos foram confirmados, sendo que dois pacientes morreram (em Ibatiba e Pancas), e quatro estão em estado grave.

 

Nesta última semana, três macacos foram encontrados mortos em Cariacica (dois na Reserva de Duas Bocas e um no bairro Operário) e um em Vitória, no bairro Joana D’arc. As prefeituras disseram que os animais foram recolhidos. Os de Cariacica foram encaminhados à Sesa para análise. O de Vitória estava em estado de decomposição avançado, e, por isso, não foi possível coletar amostras.

 

Jornal da Band: Febre amarela avança no Espírito Santo